Querido jovem:

Na solenidade de Pentecostes, a páscoa de Cristo completou-se com a infusão do Espírito Santo que se manifestou, se deu e se comunicou como pessoa divina. O Espírito Santo prometido por Jesus foi derramado sobre os discípulos, reunidos num mesmo lugar. Hoje, como outrora, celebramos o Espírito Santo como dom de Deus para nós.

“Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo”

É o Espírito Santo que ensina a Igreja e lhe recorda tudo quanto Jesus disse.

 

É pelo Espírito Santo que Jesus continua presente e atuante na sua Igreja e no mundo. “Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo”, nos diz São Paulo na Carta aos Coríntios (1 Cor 12, 3).

Neste ano, queremos celebrar essa solenidade a partir do tema: “Ungidos pelo Espírito, somos comunidade de discípulos de Cristo”. Na Conferência de Aparecida, realizada em 2007, o Papa Bento XVI trouxe um conceito teológico muito bonito para dizer quem somos nós: “discípulos missionários de Jesus Cristo”.

A vida cristã se expressa de maneira especial na vida  comunitária. Jesus pediu que seus discípulos permanecessem “unidos em seu nome”. O livro dos Atos dos Apóstolos trazem dois belos testemunhos sobre a vida da primeira comunidade cristã: “Eram perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações” (At 2, 42). E ainda: “a multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma” (At. 4,32a).

É o Espírito Santo que nos introduz na comunhão com o Filho e com o Pai, fortalece-nos na comunhão como irmãos, para a missão de testemunhar e anunciar Jesus Cristo no mundo.

Por isso somos ungidos pelo Espírito Santo para sermos comunidade de discípulos de Cristo.

Na Arquidiocese de São Paulo, estamos no segundo ano do destaque pastoral “Paróquia: Comunidade de comunidades”, vivendo um processo de aprofundamento da vida e missão da Paróquia, para que, através de uma verdadeira conversão pastoral, a Paróquia seja “casa e escola de comunhão”, lugar do anúncio e testemunho da Palavra de Deus, espaço para a santificação do povo e para a vivência da caridade pastoral.

Em nível mundial, a Igreja concentra suas atenções na preparação para a XXVIII Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que acontecerá aqui no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, em julho do próximo ano. São esperados 4 milhões de jovens de todo o mundo! Já recebemos em nossa Arquidiocese de São Paulo, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora, símbolos da JMJ, que estão percorrendo o nosso país.

Dentro de todo esse contexto e desde já nos preparando para a Jornada Mundial da Juventude, queremos convidá-lo/a para um momento muito importante de nossa Arquidiocese:

Pentecostes da Juventude
Dia 27 de maio de 2012, Domingo às 14h
Na Catedral Nossa Senhora da Assunção
Praça da Sé – estação “Sé” do metrô

 

“Ide e fazei discípulos entre todas as Nações”

Pelo sacramento do Batismo, fomos inseridos na Igreja Católica Apostólica Romana e nos tornamos, por graça e dom especial, filhos e filhas de Deus. Isso nos vincula de maneira especial a Jesus Cristo, “autor e consumador de nossa fé” (Cf. Hb 2,10; 12,2). Pelo Batismo, o cristão tornou-se um discípulo de Jesus Cristo e, por consequência, testemunha e missionário do seu Evangelho no mundo. Muitos são os cristãos católicos que não sabem disso, ou nunca tiveram a oportunidade de tomar consciência dessa graça especial. Foram batizados, mas não foram evangelizados. A evangelização é o processo de aproximação de Jesus Cristo, de comunicação do seu Evangelho e de adesão, pela fé, à “vida nova em Cristo”. (Cf. Dom Odilo Pedro Scherer, Carta Pastoral Paróquia torna-te o que tu és, p.18).

Assim foi o início da Igreja: “quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar. De repente, veio do céu um ruído como de um vento forte. Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas. Residiam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações que há debaixo do céu. Quando ouviram o ruído, reuniu-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua” (cf. At. 2, 1-6).

Ao receber o Espírito Santo, a Igreja recebe também uma ordem de Jesus: “Ide, pois, fazer discípulos entre todas as nações e batizai-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensinai-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt. 28,19-20).

Pela força do Espírito Santo, os discípulos de Jesus se tornam também missionários para anunciar o Evangelho a toda a humanidade (missão universal). Por isso, em Pentecostes vemos a Igreja manifestar-se publicamente diante de uma grande multidão; e, desde então, a Igreja vive em estado permanente de missão. Nós, que somos Igreja, somos permanentemente missionários.

O Espírito Santo é o amor do Pai e do Filho derramado em nossos corações, dando-nos a certeza desta presença amorosa que acompanha sempre a Igreja em sua missão.

Pelo sacramento da Crisma, os discípulos de Jesus recebem o dom do Espírito Santo que, por sua vez, concede-lhes qualidades especiais para o crescimento e aprofundamento da graça batismal. Essas qualidades são os dons que recebemos do Espírito Santo e que são concedidos para o bem da comunidade, para o bem de toda Igreja e o bem do mundo. São esses dons que tornam o Povo de Deus capaz de viver como Jesus viveu. Pelo sacramento da Crisma, a graça que é conferida aos crismados:

a) Permite uma união mais íntima com Cristo;

b) Torna mais perfeito o laço que nos une à Igreja;

c) Dá-nos uma força especial para propagar e defender a fé, pela palavra e pela ação, como verdadeiras testemunhas de Cristo;

d) Enraíza-nos mais profundamente na filiação divina, que nos permite chamar Deus de Pai (Abba!)

A partir de Pentecostes, a Igreja não cessou de irradiar a Boa Nova até os “confins do mundo” (At 1,8). Nós somos frutos da missão da Igreja, por obra do Espírito Santo, que continua a agir na medida em que nos abrimos à sua força renovadora.

O mundo necessita muito de homens e mulheres competentes e generosos, que se colocam a serviço do bem comum. Por isso, querido jovem, empenhe-se nos estudos com seriedade; seja honesto e verdadeiro; compartilhe seus talentos e os disponibilize desde já a serviço do próximo. Busque a sua maneira de contribuir para uma sociedade mais justa e humana, onde quer que você esteja. Que toda sua vida seja guiada pelo Espírito Santo.

Não se deixe conduzir pela busca do poder, do sucesso material e do dinheiro. Quem crê no Espírito Santo e se deixa conduzir por ele, é feliz.

Conte com a força do Espírito Santo em sua vida! Participe intensamente de sua comunidade eclesial e seja um verdadeiro discípulo missionário de Jesus Cristo em nossa cidade!

ORIENTAÇÕES PRÁTICAS PARA UMA BOA PARTICIPAÇÃO NA CELEBRAÇÃO ARQUIDIOCESANA DE PENTECOSTES

1. Os Folders: destinam-se, principalmente, aos crismandos e jovens aos quais devem ser entregues, para que se sintam pessoalmente convidados.  É importante os catequistas e coordenadores que reflitam e partilhem com eles o conteúdo do folder, como uma maneira de todos se prepararem para a solenidade.

2. Horário para chegada – O evento será iniciado às 14h. Procurem chegar com antecedência, pois haverá um momento de preparação para a Celebração Eucarística.

3. Alimentação e água – Todos os adolescentes e jovens devem estar alimentados e hidratados antes da Celebração. Lembrem-se que a Catedral (templo) não é local para comer ou beber o que quer que seja.

4. Roupas – Recomendam-se roupas leves e confortáveis, porém adequadas a um ambiente de Celebração.

5. Identificação – Procurem todos usar crachás de identificação. Cada grupo poderá também, se desejar, levar bandeiras, faixas e camisetas que o identifiquem. A criatividade de cada um ajudará a compor um ambiente bonito e agradável.

6. Postura adequada para uma Celebração – Esperamos que a Solenidade de Pentecostes seja uma grande festa. Porém, durante a Missa, o clima deve ser de respeito, participação e oração. Todos devem estar conscientes disso e colaborar para a formação de um ambiente festivo, orante e de respeito, próprio de uma Celebração. Estes pontos devem ser conversados em cada grupo.

7. Acompanhamento do grupo – Os catequistas e responsáveis pelos grupos de crismandos, adolescentes e jovens deverão permanecer sempre com o grupo, acompanhando-o e orientando-o para uma postura adequada na Celebração, coibindo possíveis atitudes de desrespeito e movimentações desnecessárias durante a Missa.

8. Eventuais dificuldades ou esclarecimentos durante a  Celebração – Entrem em contato com a Equipe de Apoio, na Catedral, ou representantes de sua Região Episcopal, que estarão devidamente identificados no evento.

9. Maiores esclarecimentos antes do evento – Com Setor de Juventude: pelo telefone 3826-0133, ramal 231; ou por um dos e-mails: setordejuventude@uol.com.br ou pastoral. arquid.sp@terra.com.br

Aguardamos vocês!

Sejam bem-vindos!

Equipe Organizadora da Celebração de Pentecostes

Posts Relacionados