No último sábado, dia 6, na Paróquia Nossa Senhora da Lapa, lideranças das pastorais das comunidades da Região Lapa se reuniram para vivenciar uma formação assessorada pelo Pe. Jorge Boran sobre o Documento 85 da CNBB, intitulado “Evangelização da juventude: desafios e perspectivas pastorais”.

Pe. Jorge Boran falou sobre a importância de se ter um documento assinado e preparado pelos bispos do Brasil que discutem a Evangelização da Juventude, uma vez que num contexto de pluralidades de propostas e identidades pastorais, finalmente há um horizonte comum que pode ser vislumbrado por quem trabalha com jovens.formação lapa

Falou também da elaboração do documento: em 2006 a Assembleia dos bispos se propôs a discutir esse tema, e como fruto das reflexões produziu-se a publicação verde Estudos da CNBB, número 93. A maior vitória foi a retomada da temática na Assembleia dos bispos em 2007. As reflexões continuaram, evoluíram, e dessa assembleia, mais um fruto importante: o documento azul nº 85, que temos atualmente e que carrega as proposições da CNBB para quem trabalha com juventude.

(Um documento verde, para a CNBB, é um estudo. Apresenta uma reflexão válida, porém, não tem caráter de proposição pastoral, o que é o caso de um documento azul, que já carrega em si a denominação documento da CNBB).

Pe. Jorge Boran falou também da importância do Setor Juventude (previsto no documento 85) que é um espaço de troca de informações e realização de ventos entre os diversos jeitos e carismas que trabalham com jovens; mas que também são necessários os espaços de coordenação diocesanos próprios de cada pastoral ou movimento que trabalham com jovens para se preservar a identidade e para garantir acompanhamento sistemático aos grupos de jovens que acontecem nas paróquias ou comunidades.

Depois falou da estrutura do documento, pautada no ver-julgar-agir e que conta com algumas pistas práticas para o trabalho: a necessidade da formação integral do discípulo, a espiritualidade, a importância da pedagogia de formação, a formação de discípulos discípulos para a missão, o papel das estruturas de acompanhamento, o ministério da assessoria, o diálogo fé e razão, e a garantia do direito à vida.

Após o intervalo, abriu-se um bate papo sobre as dificuldades que as lideranças enfrentam no trabalho com os grupos de jovens, sugestões, e o desafio de articular a formação de liderança dos jovens para a Jornada Mundial da Juventude.

O encontro terminou com um agradecimento especial de Dom Julio ao Pe. Jorge Boran, e a benção às pessoas presentes.

Créditos: Saulo Ferreira

Fonte: www.regiaolapa.org.br/

Posts Relacionados