Ouvindo e assumindo o chamado a reassumir o compromisso com a construção do Reino, com uma sociedade mais humana, justa e igualitária, caminhando na luta pela vida plena, com e pela juventude, a Pastoral da Juventude se reuniu no dia 29/05 na Audiência Pública Contra a Redução da Maioridade Penal realizada pela Frente Parlamentar em Defesa da Juventude, na ALESP.

Junto com nossos companheiros que compoem o GT a Juventude Quer Viver, vindos de inumeros lugares, Santa Barbara, Jarinu, Sumaré, e por diversas regiões episcopais da Arquidioces de São Paulo, entre elas a Brasilândia, Santana e Belém, a juventude mostrou que está na luta e esta pronta para ocupar os espaços e reafirmar seu desejo: Chega de Violência e Exterminio de Jovens!

1 Convidada também para compor a mesa, e representada por Carlos Eduardo, a PJ levou o debate seriamente, apontando a política de encarceramento que vivemos: “Em 1995 tínhamos 55 mil presos e em 2012 o numero subiu para 200 mil.” apresentou-nos Dudu, lembrando ainda que, diferente do que se faz parecer na mídia, os adolescentes envolvidos em crimes hediondos não chegam a 2% do total e que a resposta do governo é medieval, resultado de uma falência onde se diz: “Erramos, somos incapazes, então vamos encarcerar”. E insiste o que sim, é necessário: “Que haja políticas públicas para a juventude e que o Estatuto da Criança e do Adolescente não seja uma lei morta!”.

Nosso companheiro reafirmou ainda a postura da Igreja diante desta questão: “A posição oficial da igreja, da CNBB, é bastante firme contra a redução. Essa é uma medida cômoda no momento em que a gente está enfrentando uma série crise na Segurança Pública.”.
Pe. Julio Lancelloti, representando o Cardeal Dom Odilo Scherer, aconselhou-nos sobre o compromisso que temos em defesa da vida: “Jovens da Pastoral da Juventude… eu clamo, façam bandeiras cartazes, abaixo assinados, mas, por favor, não deixem que na JMJ, passe batido à violência que a nossa juventude sofre… Digam ao papa Francisco: – Os jovens que aqui não estão papa, é porque estão presos ou mortos”

2Atentos ainda nas inumeras falas apresentadas pelos convidados para participar da audiência, refletindo sobre os diferentes desdobramentos que a questão nos exige, a Pastoral da Juventude entende a importancia da participação neste dia, e o marco que é diante de sua luta na caminhada pela opção pelos pobres, oprimidos, e excluidos. Compreende que o chamado a ser profeta e levar vida em abundancia para todos precisa de cuidado e firmeza, de responsabilidade e ousadia para que juntos consigamos dar passos de transformação!
E assim, a Pastoral da Juventude, continua PRESENTE NA CAMINHADA!

3Para saber mais:
Contribuições apresentadas pelos convidados para debaterem na audiência: http://www.al.sp.gov.br/alesp/noticia.html?id=335419

Nota da CNBB Contra a Redução da Maioridade Penal: http://www.cnbb.org.br/site/imprensa/noticias/11999-nota-da-cnbb-sobre-a-reducao-da-maioridade-penal

Fonte: PJ Região Brasilândia

Posts Relacionados