“Bom dia flor Maria, de paz e alegria e um mundo só de amor pra você!”

 

Nos dias 20, 21 e 22/05/2016, 43 jovens estiveram na Tenda de Formação de Lideranças da Juventude dando seguimento ao projeto da Pastoral da Juventude da Região Episcopal Belém em parceria com a BomPar, iniciado em 30/10/2015.

Garantir a formação integral do jovem é sempre um desafio, principalmente quando paramos para pensar o que cada momento vivenciado no final de semana pode provocar no cotidiano e no futuro de cada um.

No primeiro encontro, falamos das relações afetivas e a identidade de gênero; no segundo, trabalhamos a civilização do amor e procuramos reconhecer o nosso horizonte e como queremos construí-lo; no terceiro, o projeto de vida e a sua importância embalou nossa formação e já neste quarto e penúltimo encontro o tema foi: Arte e Educação Popular. Nele reconhecemos a emergente necessidade de questionar o atual modelo de educação, de refletir sobre um novo modelo que garanta a emancipação do indivíduo unida à proposta da sociedade do bem-viver e à economia solidária, além de encontrar mecanismos e conteúdo que contribuem com o despertar do educador popular que existe cada um de nós.

Iniciamos com questionamentos existencialistas: do que somos formados? De onde viemos? Por que tem que ser assim? Para que assim pudéssemos questionar o nosso modelo de educação pública/industrial: a estrutura das escolas e as suas carteiras enfileiradas, a metodologia e a importância dada às individualidades definitivamente não tem nos representado. Por que também não mudar a estrutura do espaço onde iriamos passar o final de semana? Optamos em sentar em roda.

A assessoria, dada pelo professor Antonio Salvador Coelho, nos fez compreender ainda mais o sistema defasado e o que de fato é a educação popular. Além disso, os jogos cooperativos, as cirandas e a música trazidas por ele contribuiu muito com a formação.

Lembramos da nossa infância ao cantar a história da “serpente que desceu do morro para procurar um pedacinho do seu rabo” e ouvimos história populares, destas contadas pelos nossos pais, que também muito nos lembra um tal Jesus, que por toda sua vida sentou para contar parábolas carregadas de lições. Terminamos o sábado com mais uma contação de história, desta vez foi a história da boneca Abayomis (boneca feita por mulheres negras com a barra da saia). Este momento contribuiu para que lembrássemos dos retalhos que compõem a nossa vida.

Entendendo a arte, como principal elemento para garantir uma educação popular colocamos em pratica nossa cultura através das seguintes tendas temáticas: DANÇA, TEATRO, ARTE e CLOWN.

A noite de sábado teve fim com uma noite cultural e apresentação do que vivenciamos durante o dia e uma linda festa junina, depois de termos refletido seu significado folclórico.
IMG-20160522-WA0125

A formação integral do jovem tem suas fases e seus processos. Além do “ser crítico” e “ser criativo” instigados durante a formação, tivemos o domingo para resgatar o “ser cuidante” através do cuidado com a equipe e com a natureza que estamos inseridos.

Mais uma vez, neste final de semana os jovens se entregaram a uma experiência nova, mas cumulativa no projeto da Tenda: o de buscar compreender e se deixar mergulhar nos mistérios da vida.

O próximo encontro já tem tema e data. Virá para inquietar ainda mais o nosso projeto de vida, nossos pré-conceitos, nossos conceitos, nossas ações, nossos sentimentos, nossa solidariedade, nossa cristandade e a nossa vontade de transformar a realidade.
O tema será: Jesus, protagonista dos Direitos Humanos?

É muito bonita a cara, a vontade e a perspectiva da juventude. Que o Projeto da Tenda possa continuar auxiliando os jovens a moldarem seu presente e futuro, com os pés no chão, as mãos na massa e o coração no pobre, no excluído e no marginalizado.

Um outro mundo é possível!

 

 

Equipe de Coordenação

Pastoral da Juventude – Região Belém e BomPar.